Pimbolim… é matraquilho


Mudámos de casa… by girondin
05/06/2015, 10:50
Filed under: Uncategorized

Agora estamos no Facebook.

A gerência agradece

Comentários Desativados em Mudámos de casa…


A época do FC Porto by girondin
04/06/2012, 18:08
Filed under: Uncategorized


Velocidade (ou “curti o gajo a ver o carro em vez de ajudar o camionista”) by calantrao
01/06/2012, 10:05
Filed under: calantrão | Etiquetas:

– Anda devagar porra.

– Para quê, se toda a gente anda depressa?

– Para conseguires parar a tempo…



Comentários Desativados em Velocidade (ou “curti o gajo a ver o carro em vez de ajudar o camionista”)


Falta de tempo (ou “mesmo! Falta de tempo!”) by calantrao
30/05/2012, 09:55
Filed under: calantrão | Etiquetas:

Tinha tanta coisa inútil para comentar:

– Vi na TV o Rock in Rio e o Billy Corgan está mais gordo que eu (e isso não é fácil);

– Rodriguez saiu do FCP a custo zero (deixando atrás de si um enorme buraco financeiro);

– A entrevista do Scolari: pérolas e contradições demasiado estranhas. Pinto da Costa manda e desmanda na selecção, Baía saiu por indicação do presidente dos andrades. Merecia um post ou dois. Mas não tenho mesmo tempo.

– A corrupção em Itália;

– O jogo com a Macedónia.

Enfim, não vai mesmo dar.

Para compensar, segue um vídeo que merece ser visto (ainda só vi o primeiro minuto mas já merece ser postado):

Comentários Desativados em Falta de tempo (ou “mesmo! Falta de tempo!”)


Toques na selecção (ou “assim se faz o melhor do mundo”) by calantrao
27/05/2012, 10:08
Filed under: Uncategorized | Etiquetas: ,

Image

Consta que num treino há uns dias Ronaldo se chateou com Postiga e lhe mandou uns berros. Isto porque estavam a fazer o tradicional exercício do “meínho” e Ronaldo não gostou da displicência dos colegas.

Cristiano queria que dessem no mínimo 15 toques antes do jogador que estava no meio conseguisse recuperar a bola e, aparentemente, Postiga (entre outros) terá levado pouco a sério o pedido do capitão.

Este episódio nada significa em termos de problemas de balneário ou coisa do género. É normal haver atletas que se empenham mais que outros mas isto diz muito sobre Cristiano e sobre como foi possível que ascendesse à categoria de melhor do mundo (ou, pelo menos, à “luta” com Messi por esse título). Trabalho, trabalho, trabalho. É a diferença entre um Quaresma tecnicamente superdotado que conseguiu ser ídolo apenas em Portugal e na Turquia e um miúdo que em Manchester ganhou 15 quilos ou mais de massa muscular, trabalhou os livres até se tornar no melhor marcador do mundo e sacrificou alguma técnica de drible para ganhar objectividade e golos.

Trabalho, trabalho, trabalho.



Provocações (ou “mal por mal, antes o Marçal”) by calantrao
26/05/2012, 21:55
Filed under: calantrão | Etiquetas: , ,

Uma amiga minha, advogada, esteve um jantar inteiro a chagar-me a cabeça com as provocações do Carlos Lisboa.
Que incendiou o pavilhão, que era indecente, que os profissionais são pagos para ouvir provocações e insultos e não responder, etc, etc, etc.

Na altura nem me lembrei deste exemplo mas quando cheguei a casa recordei a extraordinária prestação de Bruno Alves neste jogo da Taça da Liga. As provocações aos adversários, ao banco do Benfica, ao árbitro, ao público encarnado.

No fundo só estranho que os benfiquistas não tenham reagido como os portistas na semana passada. É que, aparentemente, as provocações tudo justificam.



Edição de imagem (ou “não surpreende mas espanta”) by calantrao
25/05/2012, 13:55
Filed under: Uncategorized

Ainda agora respondia a um nosso estimado leitor (Sr. Dragoum) que defende a barbárie do “gesto da garganta” de Carlos Lisboa, que só por si era suficiente para incendiar os ânimos.

Olhando para as imagens do vídeo que o Girondin colocou, já me tinham parecido diferentes mas podia ser só impressão. Surge agora, uma vez mais, a prova do nível da direcção portista: misturaram imagens do jogo 2 com o jogo 5 e puseram o capitão de equipa a debitar imbecilidades que não viu, afirmando: “recordo outro acto, no jogo de hoje, que ele fez também aqui para o nosso treinador adjunto, que nem vale a pena estar a dizer porque é fraquíssimo”. 

Mas que é isto? É a total falta de vergonha!

Mas será que Pinto da Costa e restante direcção acha que os portistas comem tudo o que eles mandam cá para fora? Que acreditam mais neles que nas provas? Qualquer dia até dizemos todos que o FCP foi mesmo fundado em 1893…

Está a ver Sr. Dragoum, tem de filtrar tudo o que vem da Torre das Antas, porque os seus dirigentes já mostraram que honra, coluna vertebral, verdade, são conceitos que desconhecem.

Segue o comunicado benfiquista a propósito das imagens:

Enganam alguns, algum tempo

A genética efectivamente define o carácter das pessoas. Mostrou ontem [dia 24] o Porto Canal a prova irrefutável que justificou toda a violência no Caixa Dragão. As “bárbaras” provocações de Carlos Lisboa foram exibidas e repetidas até à exaustão. Os restantes canais foram atrás, e reproduziram as “irrefutáveis” provas que as virgens ofendidas decidiram exibir, alguns com direito a lupa e ampliação. Esqueceram-se os responsáveis do Porto Canal de dizer uma coisa básica: que misturaram imagens do segundo jogo da Fase Final com imagens do quinto encontro. Imagens em que Carlos Lisboa reage ao maior provocador de todos, o treinador adjunto do FC Porto, com imagens dos festejos do título.

Mas a “provocação” do segundo jogo não deu em nada, o jogo acabou sem violência e sem reparo. Já a provocação do quinto jogo, essa sim é inadmissível de aceitar, porque afinal de contas representava a perda do título nacional. Esta é que foi a maior provocação de todas.

O mais incrível é que ninguém questionou ver nas imagens – supostamente do mesmo jogo – árbitros diferentes. Efectivamente quando não se sabe ser sério não se consegue jogar limpo em nada. Uma questão de genética.



Ainda sobre o Porto-Benfica em Basquetebol by girondin
25/05/2012, 09:05
Filed under: Uncategorized

Calantrão,

Repudiei a atitude dos adeptos aquando do último jogo de basquetebol, mas confesso que, se estivesse presente no Dragão Caixa, me seria impossível não responder a provocações baixas do treinador do Benfica.



Olimpyakos quer Vítor Pereira by girondin
25/05/2012, 07:24
Filed under: girondin

Ainda meio ensonado, ligo a TV e vejo, em rodapé, que o Olympiakos pretende os serviços de Vítor Pereira.
Ainda parei um pouco para ter a certeza que estava acordado…
Mas sim, não é um sonho.

Há que dar os parabéns ao Porto.
Seria o melhor negócio do FC Porto desde as vendas de Sissoko ao Lyon e Secretário ao Real Madrid.

Uma palavra aos dirigentes do Porto: Por favor, não queiram ficar com um treinador descontente. Despachem já o Vítor Pereira e se possível incluam o Kleber também no negócio



A futebolização das modalidades (ou “nas Antas ou no Dragão, violência é tradição”) by calantrao
24/05/2012, 23:02
Filed under: calantrão | Etiquetas: , , ,

Desde que a Benfica TV foi lançada que sigo com maior interesse as modalidades do Benfica. Anteriormente, não seguia qualquer modalidade que não o futebol, acima de tudo porque os jogos não passavam na TV e a distância não permitia um acompanhamento mais próximo.

A TV do clube tem permitido a muitos adeptos de sofá (como eu) acompanharem o futebol de formação e as diversas modalidades. Hoje em dia, conheço os principais jogadores das principais modalidades encarnadas e são muitas as tardes passadas a ver os jogos das diferentes modalidades que passam “de rajada” ao fim de semana.

Dito isto, não escondo que eu sou fã é de futebol. Gosto de ver o Benfica jogar nas restantes modalidades, algumas mais que outras, mas o futebol é a modalidade principal e este é, acredito, o pensamento reinante entre a maioria dos benfiquistas (e, diria, dos adeptos dos outros grandes).

Toda esta introdução serve apenas para abordar uma temática que ficou por demais evidente na final de quarta-feira no basket, vencida pelo Benfica no pavilhão do Dragão. Se virmos os jogos de Basket (de qualquer um dos intervenientes da final) durante a fase regular, a moldura humana é decepcionante. Casa meio cheia já é motivo de festa e por isso torna-se claro que os adeptos que encheram o Dragão Caixa não eram fãs de basket, eram fãs do Porto e eram anti-benfica. Eram das claques, eram do futebol. E trouxeram para o pavilhão o modo de estar do estádio, com a diferença que no pavilhão a proximidade é muito maior, logo o risco é muito maior.

Nada há a fazer, dizem os entendidos. A nossa sociedade usa o desporto como escape, como os antigos romanos usavam os jogos de gladiadores. Os jogos são batalhas, os campeonatos guerras. Os adversários são inimigos no verdadeiro sentido da palavra e isto não é exclusivo dos portistas mas comum a todos os clubes.

Enquanto os clubes quiserem (e que não haja dúvidas que querem) claques violentas (que na prática, com as suas atitudes extremistas, desvirtuam o conceito de claque de apoio), climas hostis e incendiados,nada haverá a fazer.

E, na minha opinião, um dos principais problemas é o facto das Ligas serem controladas pelos clubes, que ditam leis e determinam os seus próprios (ridículos) castigos e penas. O Benfica devia ter sido severamente punido pelo apagão? Naturalmente. A Luz deveria ter sido interditada depois do caso do Diabo de Gaia? Claro. O Dragão interditado depois do degradante episódio das bolas de golfe? Sim. O FCP deveria ser obrigado a jogar à porta fechada no Dragão Caixa durante vários jogos contra o Benfica (penas duras não são 2 ou 3 jogos contra equipas menores no início do campeonato)? Devia.
O problema é que tudo ficará sanado com um puxão de orelhas e uma multa de 10 000 euros (que para os grandes é nada). Porque são os clubes que assim determinam, são eles que fazem as leis. E isso não é correto.

Ainda a propósito dos incidentes desta semana, lembrei-me dos incidentes que ocorreram nas Antas pouco tempo depois de ter entrado para a faculdade. O FCP disputava a final da Champions em Hóquei e foi derrotado. Nessa altura, o caso foi ainda mais grave pois os espanhóis foram mesmo agredidos em pleno campo enquanto tentavam fugir para os balneários. Passaram-se 12 anos e, tirando as instalações, não mudou grande coisa.